Arquivo do mês: fevereiro 2013

Química

Bosta de cavalo.  O cheiro era de bosta de cavalo. Lembrou-se na hora da parada de sete de setembro. De uniforme bem passado, meias três-quartos, compenetrada e com frio na barriga. Nunca sabia direito a ordem das estrofes. Na rua,

Química

Bosta de cavalo.  O cheiro era de bosta de cavalo. Lembrou-se na hora da parada de sete de setembro. De uniforme bem passado, meias três-quartos, compenetrada e com frio na barriga. Nunca sabia direito a ordem das estrofes. Na rua,

O Ano da Serpente

Desta vez ela resolveu comemorar o ano novo pelo calendário chinês, 10 de fevereiro de 2013. O ano só começa mesmo depois do carnaval. Terça-feira é dia 12, o ano novo chinês fica bem próximo. O fato é que Fernanda

O Ano da Serpente

Desta vez ela resolveu comemorar o ano novo pelo calendário chinês, 10 de fevereiro de 2013. O ano só começa mesmo depois do carnaval. Terça-feira é dia 12, o ano novo chinês fica bem próximo. O fato é que Fernanda

Fragmentos de um discurso amoroso

Imagem: Caters New Agency INTERIOR – QUARTO – NOITE Somente se vê a MULHER (compleição atlética, músculos dos braços bem torneados, pernas muito grossas, não mais do que 30 anos) em posição de receber uma relação sexual por trás. Nua.

Fragmentos de um discurso amoroso

Imagem: Caters New Agency INTERIOR – QUARTO – NOITE Somente se vê a MULHER (compleição atlética, músculos dos braços bem torneados, pernas muito grossas, não mais do que 30 anos) em posição de receber uma relação sexual por trás. Nua.

Da Beleza da Falta de Pressa

Eu precisava lavar as mãos antes de navegar no pão na chapa com manteiga e requeijão que acabara de pedir. Encarei a pia de longe e avistei alguém. Demorei a decidir se era uma senhora ou um senhor, mas ao

Da Beleza da Falta de Pressa

Eu precisava lavar as mãos antes de navegar no pão na chapa com manteiga e requeijão que acabara de pedir. Encarei a pia de longe e avistei alguém. Demorei a decidir se era uma senhora ou um senhor, mas ao

Subterfúgios que me cabem

Porque sou loira, meu bem E dizem umas coisas por aí Essa vida não é nada fácil Pra quem tem meu tom de cabelo Leio Clarice nas ruas Até as cartas de Voltaire E no banheiro notícias do showbiz Porque

Subterfúgios que me cabem

Porque sou loira, meu bem E dizem umas coisas por aí Essa vida não é nada fácil Pra quem tem meu tom de cabelo Leio Clarice nas ruas Até as cartas de Voltaire E no banheiro notícias do showbiz Porque

Um não amor

… Não me quero seu. Também não te quero minha. Tua carne nova nunca me coube. Enganei meu pau, mas minha boca sabia que você não era pra mim. Vá pra longe, mas não se esconda. Mostre o seu pior

Um não amor

… Não me quero seu. Também não te quero minha. Tua carne nova nunca me coube. Enganei meu pau, mas minha boca sabia que você não era pra mim. Vá pra longe, mas não se esconda. Mostre o seu pior

Um rosto da multidão

Era domingo de carnaval. As nossas mãos se cruzaram, se soltaram e eu nunca mais a vi. Foi assim que o que era doce se acabou, que seu cheiro se misturou aos cigarros de outras mulheres, seu corpo se embrenhou

Um rosto da multidão

Era domingo de carnaval. As nossas mãos se cruzaram, se soltaram e eu nunca mais a vi. Foi assim que o que era doce se acabou, que seu cheiro se misturou aos cigarros de outras mulheres, seu corpo se embrenhou