Arquivos da categoria: Denise Ranieri

Salvador Dalí

O auto da barca de sushi – Parte III

Desde o princípio o diabo se revelou um cara prolixo. De boa conversa, mas prolixo. Dotado de excelente raciocínio, mas prolixo. [De acordo com as tabelas do Grupo de Controle e Vigilância Epidemiológica, o simples contato com pessoa portadora de

Salvador Dalí

O auto da barca de sushi – Parte III

Desde o princípio o diabo se revelou um cara prolixo. De boa conversa, mas prolixo. Dotado de excelente raciocínio, mas prolixo. [De acordo com as tabelas do Grupo de Controle e Vigilância Epidemiológica, o simples contato com pessoa portadora de

Salvador Dalí

O auto da barca de sushi – Parte II

Trouxemos shoyu, gengibre e wasabi, o diabo falou com voz descontraída, indicando a barca com a mão esquerda, dando início à abertura dos trabalhos. Comecei com um sushi de salmão que ele flambou na hora – trazia um maçarico no

Salvador Dalí

O auto da barca de sushi – Parte II

Trouxemos shoyu, gengibre e wasabi, o diabo falou com voz descontraída, indicando a barca com a mão esquerda, dando início à abertura dos trabalhos. Comecei com um sushi de salmão que ele flambou na hora – trazia um maçarico no

Salvador Dalí

O auto da barca de sushi

A primeira vez que o diabo lançou uma oferta sobre minha nobre alma fugiu completamente do que eu imaginava para esse tipo de proposta. Meus poucos conhecimentos sobre o assunto se resumiam a uns dois ou três filmes de Hollywood.

Salvador Dalí

O auto da barca de sushi

A primeira vez que o diabo lançou uma oferta sobre minha nobre alma fugiu completamente do que eu imaginava para esse tipo de proposta. Meus poucos conhecimentos sobre o assunto se resumiam a uns dois ou três filmes de Hollywood.

Yoshitoshi, 1887

o que faz o vício ou

comida japonesa em São Paulo pelos meus cálculos (pode dar alguma diferença, nunca fui boa em matemática) já comi um apartamento nos Jardins um estúdio em Paris e uma lancha médio porte.  

Yoshitoshi, 1887

o que faz o vício ou

comida japonesa em São Paulo pelos meus cálculos (pode dar alguma diferença, nunca fui boa em matemática) já comi um apartamento nos Jardins um estúdio em Paris e uma lancha médio porte.  

Pot-Pourri

Chapeuzinho Vermelho cumpria seu turno de garçonete no Ritz da Alameda Franca. Tentava carreira de modelo em São Paulo, mas precisava garantir a grana da faculdade. Quando o bonitão passou pela porta giratória, foi direto falar com ela: “Ooh la la…

Pot-Pourri

Chapeuzinho Vermelho cumpria seu turno de garçonete no Ritz da Alameda Franca. Tentava carreira de modelo em São Paulo, mas precisava garantir a grana da faculdade. Quando o bonitão passou pela porta giratória, foi direto falar com ela: “Ooh la la…

Bestiário

A princípio Mister Brightside era um homem, mas muitos juravam se tratar de uma águia esculpida em tronco de madeira. Quando o conheci, transitava entre os mundos: Pachuca, Leon, Flensburg, Amsterdã, Baixa Augusta e Alice in Wonderland. Se alimentava basicamente de guias de viagem, saunas a vapor, tatuagens p&b, cannabis e falsos Davis em Florença. Foi voluntário na Red Light por uma noite, e como essa aventura valeu por uma vida toda, cravou

Bestiário

A princípio Mister Brightside era um homem, mas muitos juravam se tratar de uma águia esculpida em tronco de madeira. Quando o conheci, transitava entre os mundos: Pachuca, Leon, Flensburg, Amsterdã, Baixa Augusta e Alice in Wonderland. Se alimentava basicamente de guias de viagem, saunas a vapor, tatuagens p&b, cannabis e falsos Davis em Florença. Foi voluntário na Red Light por uma noite, e como essa aventura valeu por uma vida toda, cravou

Photograph by Brian Duffy

ainda sobre Azevedo

Poesia é coisa de maricas, ouviu o pai dizer certa vez durante o pôquer. Guardou consigo a questão e mais tarde, para dirimir qualquer dúvida, optaria pela carreira de contabilista. … Na sala, enquanto a molecada discutia quem ia buscar

Photograph by Brian Duffy

ainda sobre Azevedo

Poesia é coisa de maricas, ouviu o pai dizer certa vez durante o pôquer. Guardou consigo a questão e mais tarde, para dirimir qualquer dúvida, optaria pela carreira de contabilista. … Na sala, enquanto a molecada discutia quem ia buscar

eu nunca fui santa

(haicais não ortodoxos)

O sol também se levanta para a mulher que nunca foi santa [1] Trocou a virgindade pelas luzes da cidade. [2] Da janela indiscreta chamava os meninos de bicicleta. [3] Consolou o jovem Werther fazendo-lhe um suéter. [4] Se és

eu nunca fui santa

(haicais não ortodoxos)

O sol também se levanta para a mulher que nunca foi santa [1] Trocou a virgindade pelas luzes da cidade. [2] Da janela indiscreta chamava os meninos de bicicleta. [3] Consolou o jovem Werther fazendo-lhe um suéter. [4] Se és

Azevedo

Dezembro tinha acabado de começar e Luísa já queria saber o que ia ser depois do carnaval. Azevedo dormia de barriga para cima, com o braço da tatuagem levantado sobre a cabeça – um peixe que saía da parte interna

Azevedo

Dezembro tinha acabado de começar e Luísa já queria saber o que ia ser depois do carnaval. Azevedo dormia de barriga para cima, com o braço da tatuagem levantado sobre a cabeça – um peixe que saía da parte interna

Subterfúgios que me cabem

Porque sou loira, meu bem E dizem umas coisas por aí Essa vida não é nada fácil Pra quem tem meu tom de cabelo Leio Clarice nas ruas Até as cartas de Voltaire E no banheiro notícias do showbiz Porque

Subterfúgios que me cabem

Porque sou loira, meu bem E dizem umas coisas por aí Essa vida não é nada fácil Pra quem tem meu tom de cabelo Leio Clarice nas ruas Até as cartas de Voltaire E no banheiro notícias do showbiz Porque

Onde morrer dá pé

  Deixaria crescer a unha do dedo mínimo depois levaria ao juiz um requerimento: – Não quero ser Maria João!   [Zaratustra sim é nome feio / Pra mim é xingamento / Na minha terra… ah, sei lá / Majô até

Onde morrer dá pé

  Deixaria crescer a unha do dedo mínimo depois levaria ao juiz um requerimento: – Não quero ser Maria João!   [Zaratustra sim é nome feio / Pra mim é xingamento / Na minha terra… ah, sei lá / Majô até

Je vous salue, Marie

Em algum momento do sono Maria estava com um pé na minha cabeça – enquanto o outro atingia uma taça de vinho vazia na mesinha de centro. Quando todos acordamos Maria disse: vou preparar um suco de maçã. É fato

Je vous salue, Marie

Em algum momento do sono Maria estava com um pé na minha cabeça – enquanto o outro atingia uma taça de vinho vazia na mesinha de centro. Quando todos acordamos Maria disse: vou preparar um suco de maçã. É fato

Cigar box guitar

Nosso amor durou treze cigarros. E duas músicas do John Lee Hooker. Eu tinha seis minutos e nenhum travesseiro. Ele uma verborragia ácida e alguns pêlos crescendo no nariz. A menina da recepção, um piercing no umbigo e dois alargadores

Cigar box guitar

Nosso amor durou treze cigarros. E duas músicas do John Lee Hooker. Eu tinha seis minutos e nenhum travesseiro. Ele uma verborragia ácida e alguns pêlos crescendo no nariz. A menina da recepção, um piercing no umbigo e dois alargadores

Memórias de pensão

Dona Etelvina falava pelos cotovelos com o técnico da tevê a cabo quando ela entrou e perguntou alguma coisa sobre a hora do brunch. A velha respondeu que ali não tinha brunch, era café da manhã mesmo e emendou uma conversa na

Memórias de pensão

Dona Etelvina falava pelos cotovelos com o técnico da tevê a cabo quando ela entrou e perguntou alguma coisa sobre a hora do brunch. A velha respondeu que ali não tinha brunch, era café da manhã mesmo e emendou uma conversa na

Peggy Sue e o soco no nariz do tubarão

Seu nome, Peggy Sue. Era a caçula de quatro irmãos, todos iniciados com jota: Jacira, Jorge e Jussara. Seus pais, José e Jandira. Os avós maternos, João e Janete. Dos paternos nunca teve notícia, já que seu pai crescera num

Peggy Sue e o soco no nariz do tubarão

Seu nome, Peggy Sue. Era a caçula de quatro irmãos, todos iniciados com jota: Jacira, Jorge e Jussara. Seus pais, José e Jandira. Os avós maternos, João e Janete. Dos paternos nunca teve notícia, já que seu pai crescera num

O irmão de Laurinha

Toda vez que alguém duvidava do que dizia, Laurinha colocava uma pedra: “Quem disse foi meu irmão, credenciado pelo Instituto Tecnológico de Massachusetts…”, como se aquilo bastasse para encerrar o assunto. Mas sempre tive dúvidas se era mesmo o irmão

O irmão de Laurinha

Toda vez que alguém duvidava do que dizia, Laurinha colocava uma pedra: “Quem disse foi meu irmão, credenciado pelo Instituto Tecnológico de Massachusetts…”, como se aquilo bastasse para encerrar o assunto. Mas sempre tive dúvidas se era mesmo o irmão