Fragmentos de um discurso amoroso

Leão-leva-bronca-por-brigar-com-filhote-Imagem-G1

Imagem: Caters New Agency

INTERIOR – QUARTO – NOITE

Somente se vê a MULHER (compleição atlética, músculos dos braços bem torneados, pernas muito grossas, não mais do que 30 anos) em posição de receber uma relação sexual por trás. Nua. Demostra estar excitada.

Ouve-se de fundo, com letra e melodia, a canção: “Qualquer Coisa” de Caetano Veloso.

Ela olha para trás e arregala os olhos: temor.

Sente uma forte estocada e demonstra dor. Depois, conforme a movimentação vigorosa ocorre, expressa prazer. Morde os lábios, balança a cabeça, revira os olhos, sorri, ri e grita. Fade in e cessa a musica.

 

Comentário1 – É um flashback ou um flash forward? Esta mania que tem em escrever em “picadinhos” não dá futuro, honey!! Seus “leitores” não entendem muito bem, sabia?

 

INTERIOR – QUARTO – DIA (MANHÃ)

O HOMEM (estatura mediana, flácido e quase obeso, 40 anos) veste apenas a calça do pijama. A mulher, a mesma da cena anterior, veste uma camisola curta, transparente e sem calcinha. O casal está em pé no meio do quarto. Um quarto claro, bem mobiliado, com diversas fotos do casal em diferentes ocasiões e momentos da vida.

Beijam-se com sofreguidão. O homem com relutância afasta a mulher. Ela resiste.

HOMEM

(sem convicção)

Não posso

MULHER

(sedução)

Por mim?

HOMEM

(tentando ser persuasivo)

Amorzão entenda: não posso! Nem sei se vou conseguir

MULHER

(com muito mais sedução)

Nem: Por mim?

HOMEM

(respirando fundo e firme)

Não!

Ponto de Vista do Homem. A mulher se vira com raiva. Caminha em direção ao banheiro do quarto. Anda de uma forma provocante, acentuando cada passo. Cada músculo. Cada curva. A imensa e firme bunda em destaque

 

Comentário 2 – Honey, outra vez falando da gente? Não está feliz? Te fiz algo? Precisamos conversar e esta cena eu já vi em outro conto seu!

No quarto, ao lado da porta do banheiro, há um pequeno móvel. Sobre ele está um porta-retratos com foto do casal. Foto do casamento dos dois. Sorridentes.

Ela entra no banheiro e bate violentamente a porta. A foto cai.

Geral.

Homem parado ao lado da cama. Apesar da calça do pijama ser larga, está visivelmente excitado. Sem saber o que fazer. Demonstra pânico, como tivesse sido pego pelado em plana Avenida Paulista.

HOMEM

(desesperançado, quase chorando. Expressão de cão sem dono)

Desculpe

Comentário 3 – Honey, para mim ficou muito pedante. Que vai fazer na quarta à noite?

INTERIOR – BANHEIRO – DIA (MANHÂ)

A mulher sorri de forma perversa. Começa escovar os dentes. Tem o olhar de “Anne Baxter”

INTERIOR – QUARTO – NOITE (MADRUGADA)

A mulher dorme despida, o homem muito carinhoso se aproxima. Encosta. Encoxa. Ela se afasta de forma súbita. Rejeita-o. Ele vira de costas. Detalhe: ela sorri, tipo Marilyn Monroe, enquanto ele, bufa.

INTERIOR – SALA– TARDE

Ponto de vista do homem.

A mulher, shorts muito agarrado e blusa transparente. Faz exercícios sedutores de pilates. Destaque para a bunda bem formada.

Destaque: ela percebe que ele baba.

INTERIOR – SALA DE JANTAR– TARDE

O homem e a mulher estão almoçando em silêncio. Corte

EXTERIOR – SELVA – DIA

Um leão cerca uma leoa. Ele avança sobre ela. Corte

INTERIOR – SALA DE JANTAR– TARDE

Ela derruba propositalmente um talher no chão. Ele rapidamente vai pegá-lo. Corte

EXTERIOR – SELVA – DIA

A leoa se afasta e prepara o bote. O leão fica em prontidão. Corte

INTERIOR – SALA DE JANTAR– TARDE

Ponto de vista do homem por debaixo da mesa. Ela está de pernas abertas, arreganhada, e sem calcinha.  Destaque para a mão do homem aproximando enquanto as pernas se fecham.

MULHER

(com uma falsa tristeza)

Por mim?

Corte

EXTERIOR – SELVA – DIA

A leoa pula e ataca o leão. Ele foge covardemente com o rabo entre as pernas.

Fusão: O sorriso vitorioso da leoa com o sorriso da mulher. Corte

Comentário 4 – Ficou obvio. Só faltou você colocar uma aranha intimidando uma cobra.

INTERIOR – SALA – TARDE

O casal assiste à televisão. Estão em um grande sofá. Afastados. Ela olha atentamente para a TV e ele está inquieto. Som em off; melodia de “Mulheres de Atenas”.

HOMEM

(com firmeza)

Tá! Numgüentomaisnão

A mulher o olha com um falso espanto.

HOMEM

(sorrindo)

Vamos nesta primeira vez, só para conhecer e nada de ficar “experimentandoobuffet”!

Ela concorda

HOMEM

(sorrindo)

Euevocêvocêeeu, certo?

A mulher pula em seu colo e o beija

MULHER

(excitada)

Por mim!

Comentário 5 – Está muito difícil de ler. Quando vai trocar a pia e o box, honey?

 

EXTERIOR – BOATE – NOITE

O casal entra na boate.  Casa de Swing. Ele devagar, olhado os lados. Envergonhado e tímido. Ela firme e altiva. Outros casais e frequentadores olham para ela com cobiça. Destaque para um casal: OUTRO HOMEM (atlético por volta de 35 anos) e a OUTRA MULHER (por volta de 20 anos)

INTERIOR – SALA DE JANTAR – MANHÃ

O casal toma o café da manhã. Ela come com muita gana, demonstra estar esfomeada. Ele, pensativo, apenas sorve lentamente uma xícara de café. Melodia de fundo: Nervos de aço  de Lupicínio Rodrigues.

 

Comentário 6 – Sorve? Por que não beberica? Ou bebe?

HOMEM

(didaticamente)

Deixa ver se entendi: apesar de temos combinado tudo muito bem: você sentiu cãibra?

Ela confirma sem olhar para ele ou parar de comer.

HOMEM

(didaticamente)

Tá e na hora que relaxei  e estava dando o melhor de mim para você, apesar de quase não estar enxergando nada, ter vários camaradas fungado em mim e o martini ser muito ruim: sentiu repuxada “tenebrosa” nos braços?

Ela confirma sem muita convicção. Continua a comer com um pouco menos ímpeto

HOMEM

Sentiu. Esticou. E jura pela alma da sua mãe que não sabia que a “esticada” era um convite para outra pessoa ou casal participar da nossa festinha?

Ela bebe um café encabulada.

HOMEM

E aí aquele casal esquisito já veio tirando a roupa! E assim que os dois chegaram: você pulou fora por que sentiu uma “horrorosa dor nas costas”? E o único jeito de fazer a dor passar foi ficar em quatro apoios alongando as costas? E com a bunda levantada?

Ela engole seco

HOMEM

(reflexivo)

E o camarada foi entrando sem pedir licença

Ela faz um gesto que não sabe o que dizer

Ficam em silêncio, pensativos.

HOMEM

E você viu o tamanhão?

Ela olha espantada.

HOMEM

Tá desculpa, sei que vai me dizer que não viu nada porque estava de costas!

Comentário 7 – Piadinha típica sua!

Destaque: Ela tem o olhar de “Audrey Hepburn” em “Breakfast at Tiffany’s”

 

Comentário 8 – Honey, você está chateado com o que aconteceu ontem. Juro que eu estava querendo, mas depois não quis mais. iloveiu

 

Comentário 9 – Honey, senti um buraco entre as cenas. Sugiro que eles façam exercícios juntos, Em determinado momento ele começa a se destacar, se empenhar mais, emagrecer e até ficar mais atraente. Ela fica mais acomodada.. Cada vez mais frequentam a boate de swingue. Ele adora! Que tal?

EXTERIOR – BOATE – NOITE

O casal entra da Boate. Ele seguro e firme. Ela, hesitante, olhando em volta. Outros casais e frequentadores olham para ele com cobiça. Destaque para um outro casal: O outro homem de cenas anteriores  agora acompanhado por UMA OUTRA MULHER (por volta de 20 anos. também).

Comentário 10 – Esta na não é igual à outra?

INTERIOR – SALA – MANHÃ

Som em off. Efeitos de guerra

Ela está de pé. Anda pela sala.

Ponto de vista da Mulher:   O Homem está sentado no meio do sofá e na beirada. Ele a olha de forma encabulada. Tem as mãos entre as pernas. Parece um menino que foi apanhado em um sábado á tarde, fazendo troca-troca com o melhor amigo atrás da escada

HOMEM

Não teve nada a ver com a outra noite em que eu também senti uma dor tenebrosa quase igual a sua. Sabe que esticando ela passa, mesmo?

Ela para, o encara por instantes e continua a andar.

HOMEM

Foi mesmo! E para piorar os meus joelhos também estão meio bichados. E por coincidência que ele chegou, o meu ligamento cruzado posterior fechou e tive que me agachar daquele jeito. Foi sim. Agachar e abrir a boca para suavizar a dor.

Mulher para. Ele demonstra o temor de tomar um tapa. Encolhe no sofá.

Comentário 10 – Uma coisa boa é que você não encheu o texto de reticências, exclamações e interrogações. Ficou melhor. Mas a história está meio chocha. Tem um “barrigão”

HOMEM

(hesitante)

Sim foi e rolou tudo dentro do combinado, né? Depois que eu engoli, vi que você até estava se divertindo na colação de velcro. Foi bom,né?

Comentário 11 – Final previsível e sem emoção nenhuma. A sua cara. Tipo: faz, goza, pergunta se foi bom, fuma um cigarro e liga a televisão. Honey, precisamos conversar mesmo!

Anúncios

Sobre Plínio Camillo

Nasci em 26 de novembro de 1960. Aos três anos descobri que as letras tinham significados. Aos cinco, a interrogação. Aos nove, não era sintético. Aos 12, quis ser espacial. Aos 15, conquistei a exclamação. Aos 17 vi os morfemas. Aos 20 estava no palco. Aos 22 me vi como um advérbio. Aos 25 desenredei a Lingüística. Aos 27 redescobri as reticências. Aos 30, a juventude. Aos 35 recebi o maior presente: Beatriz Camillo, aquela que me trouxe a felicidade. Aos 40 desvendei uma ligeira maturidade. Aos 41 voltei para Sampa!!!. Aos 45, recebi o prazer de viver em companhia. Aos 50 anos, uso óculos até para atender telefone. Hoje: escrevo.

  1. Gosto muito de te ver, leãozinho

  2. Amigo você está cada vez melhor! Assisti a uma verdadeira cena de cinema lendo seu texto. Amei o dia a dia desse casal! Parabéns!

  3. Texto muito bem estruturado. Além da história cinematográfica, os comentários da cena criam uma outra história, paralela, também muito interessante. Show!

  4. O texto vai deliciosamente nos envolvendo.

  5. E sempre detalhes vivos que saem dos olhos da alma!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: