Um não amor

Mãos

Não me quero seu. Também não te quero minha.
Tua carne nova nunca me coube.
Enganei meu pau, mas minha boca sabia que você não era pra mim.
Vá pra longe, mas não se esconda.
Mostre o seu pior que enxergarão sinceridade.
Vá! Cavalgue sobre todos que puder, mas não escolha, acolha, devore.
Satisfaça teu útero faminto.
Com minha velhice…
Sigo daqui sozinho.

Não aguentei ver o plural nos teus olhos.

 

Anúncios

Sobre Fernando SanPrieto

Fernando SanPrieto nasceu em 1974, em Catanduva (SP). Estudante por vocação, é graduado em Artes Plásticas e Design, pós-graduado em Ensino de Artes, ator recém formado e PhD em não usar nada disso. Impaciente, lê mais de um livro de cada vez e sempre mistura as histórias.

  1. Fernando sempre nos surpreendendo com a delicadeza e profundeza de seus textos. Lindo! Lírico! Me emocionou!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: