Posts Marcados: vida

#5 Abre a porta, Mariquinha

Era a primeira vez que eu abria a porta para o desconhecido – carteiro e entregador de pizza não contavam, pertenciam à rotina. Por isso a ignorância: o famoso frio na barriga das situações únicas nada mais é que diarreia.

#5 Abre a porta, Mariquinha

Era a primeira vez que eu abria a porta para o desconhecido – carteiro e entregador de pizza não contavam, pertenciam à rotina. Por isso a ignorância: o famoso frio na barriga das situações únicas nada mais é que diarreia.

#3 Da arte de jogar areia na própria fogueira

      O que sentia cabia em reportagem da revista Claudia: auto-sabotagem tinha se tornado minha especialidade. Mais uma vez deixava tudo e todos provarem o quanto podia ser tola & incapaz & derrotada. “Você hospedando um estranho na

#3 Da arte de jogar areia na própria fogueira

      O que sentia cabia em reportagem da revista Claudia: auto-sabotagem tinha se tornado minha especialidade. Mais uma vez deixava tudo e todos provarem o quanto podia ser tola & incapaz & derrotada. “Você hospedando um estranho na

#2 Teste do sofá?

  O que fiz levou tempo para ser feito. Eu não era a melhor amiga da internet, mas intuição feminina é melhor que conselho metereológico de mãe: a desdita assoprava que minha vida mudaria ali. Foi numa janelinha do Facebook,

#2 Teste do sofá?

  O que fiz levou tempo para ser feito. Eu não era a melhor amiga da internet, mas intuição feminina é melhor que conselho metereológico de mãe: a desdita assoprava que minha vida mudaria ali. Foi numa janelinha do Facebook,

Encontros

(Imagem do site Santarosa) Véspera de Natal. Luzes intermitentes dão um toque mágico à cidade embrutecida pelo concreto e vidro. No vigésimo sétimo andar do arranha céu mais famoso da cidade, cartão postal de todo turista que a visita, paira

Encontros

(Imagem do site Santarosa) Véspera de Natal. Luzes intermitentes dão um toque mágico à cidade embrutecida pelo concreto e vidro. No vigésimo sétimo andar do arranha céu mais famoso da cidade, cartão postal de todo turista que a visita, paira

Uma conversa estranha

Que pé era esse que se apresentava para mim? Sei que não me encontrava em meus melhores dias, mas…o que era esse pé? Encarava-me bravamente! Redondo, com seus dedos inquietos a se mover incessantemente naquela já gasta sandália havaiana. Olhando

Uma conversa estranha

Que pé era esse que se apresentava para mim? Sei que não me encontrava em meus melhores dias, mas…o que era esse pé? Encarava-me bravamente! Redondo, com seus dedos inquietos a se mover incessantemente naquela já gasta sandália havaiana. Olhando

Eternal Clock II – Robbert Van Der Steeg

Chronos

  O tempo passa A vida fica Cheia de ausências   TIC  TAC TIC  TAC   A vida passa O tempo mata Cadê ciência?   TIC  TAC TIC  TAC   O tempo abraça A vida vira Reminiscência   TIC  TAC

Eternal Clock II – Robbert Van Der Steeg

Chronos

  O tempo passa A vida fica Cheia de ausências   TIC  TAC TIC  TAC   A vida passa O tempo mata Cadê ciência?   TIC  TAC TIC  TAC   O tempo abraça A vida vira Reminiscência   TIC  TAC

Um céu sem mim

Os cachorros quando morrem vão para o céu? Fiz a pergunta no dia que o Bolinha morreu. Meu avô disse sim, enquanto enterrava o Bolinha debaixo do pé de jabuticaba no fundo do quintal. Como os vivos poderiam saber de

Um céu sem mim

Os cachorros quando morrem vão para o céu? Fiz a pergunta no dia que o Bolinha morreu. Meu avô disse sim, enquanto enterrava o Bolinha debaixo do pé de jabuticaba no fundo do quintal. Como os vivos poderiam saber de