Arquivo do mês: novembro 2014

Olho o teu olho nunca me senti tão em casa Então, comigo casa? Anúncios

Olho o teu olho nunca me senti tão em casa Então, comigo casa?

A quatro mãos

  No teu sopro, crianças correndo no jardim. No meu, viagem de dez horas.   Nos teus olhos, caleidoscópio. Nos meus, caixa de fósforo vazia.   Nos teus ouvidos, risos, estouros de bexiga. Nos meus, latido de cão.   Nos

A quatro mãos

  No teu sopro, crianças correndo no jardim. No meu, viagem de dez horas.   Nos teus olhos, caleidoscópio. Nos meus, caixa de fósforo vazia.   Nos teus ouvidos, risos, estouros de bexiga. Nos meus, latido de cão.   Nos

Provocação

                                  Meu desejo Lambuza tua alma De vontades E verdades   Imagem: Paulo Amoreira

Provocação

                                  Meu desejo Lambuza tua alma De vontades E verdades   Imagem: Paulo Amoreira

“As três irmãs” – Pó de feijão

Das memórias que ficaram, teve até tempo de fartura na vida, mas não como aquelas moças de família boa, que eram carnudas, roliças e tinham comida colorida na mesa, tipo mato e raiz fina, coisa que na terra seca do

“As três irmãs” – Pó de feijão

Das memórias que ficaram, teve até tempo de fartura na vida, mas não como aquelas moças de família boa, que eram carnudas, roliças e tinham comida colorida na mesa, tipo mato e raiz fina, coisa que na terra seca do

O fim

Jonas não tinha nenhum amigo. Só podia ser.  Que outra explicação havia para o fato de ele não saber os truques mais básicos para dar um pé na bunda de alguém? Estava diante do juiz e precisava explicar tamanha ignorância.

O fim

Jonas não tinha nenhum amigo. Só podia ser.  Que outra explicação havia para o fato de ele não saber os truques mais básicos para dar um pé na bunda de alguém? Estava diante do juiz e precisava explicar tamanha ignorância.