Posts Marcados: Sentimentos

#5 Abre a porta, Mariquinha

Era a primeira vez que eu abria a porta para o desconhecido – carteiro e entregador de pizza não contavam, pertenciam à rotina. Por isso a ignorância: o famoso frio na barriga das situações únicas nada mais é que diarreia.

#5 Abre a porta, Mariquinha

Era a primeira vez que eu abria a porta para o desconhecido – carteiro e entregador de pizza não contavam, pertenciam à rotina. Por isso a ignorância: o famoso frio na barriga das situações únicas nada mais é que diarreia.

Cavalos-marinhos

Subindo a avenida Rebouças pela manhã, cercada por carros e pessoas, uma sombra desceu sobre mim. Feito chuva ácida, sua lembrança um pouco desbotada entrou feito flecha no coração. Acertou no alvo abrindo uma ferida que já se encontrava cicatrizada.

Cavalos-marinhos

Subindo a avenida Rebouças pela manhã, cercada por carros e pessoas, uma sombra desceu sobre mim. Feito chuva ácida, sua lembrança um pouco desbotada entrou feito flecha no coração. Acertou no alvo abrindo uma ferida que já se encontrava cicatrizada.

Poeminha desinspirado

O poema não tem tema O amor? Sem mais valor E seu calor, Hoje, amornou. O desejo, Tornou-se lampejo. E o que dizer do beijo? E… O poema continua sem tema. Descontínuo, desigual, sem estilo. Falta algo. Falta essência. Falta…

Poeminha desinspirado

O poema não tem tema O amor? Sem mais valor E seu calor, Hoje, amornou. O desejo, Tornou-se lampejo. E o que dizer do beijo? E… O poema continua sem tema. Descontínuo, desigual, sem estilo. Falta algo. Falta essência. Falta…

Nuptiae

De frente àquele calhamaço de papéis mantive-me estática. O burburinho gostoso de vozes falando sem parar, risinhos nervosos, gargalhadas da tia Izilda, o cão Lalinho implicando com o gato Orfeu. Essa é a cena daquela manhã. – Catarina! Pelo amor

Nuptiae

De frente àquele calhamaço de papéis mantive-me estática. O burburinho gostoso de vozes falando sem parar, risinhos nervosos, gargalhadas da tia Izilda, o cão Lalinho implicando com o gato Orfeu. Essa é a cena daquela manhã. – Catarina! Pelo amor

E desaguava a dor…

O homem brandia os braços na fila do caixa rápido do supermercado. Gritava que alguém, impossível de identificar, era um caipira. Nas mãos uma lata de cerveja amassada. O hálito revelava à distância que o consumo da bebida havia começado

E desaguava a dor…

O homem brandia os braços na fila do caixa rápido do supermercado. Gritava que alguém, impossível de identificar, era um caipira. Nas mãos uma lata de cerveja amassada. O hálito revelava à distância que o consumo da bebida havia começado

Fé desvirtuada

O diabo é pequeno, mesquinho e realmente não tem o que fazer. Eu sei. Senão, o que ele estaria fazendo aqui em casa? Não tem ninguém aqui, só eu. E estava tomando banho na hora em que ele chegou. Agora

Fé desvirtuada

O diabo é pequeno, mesquinho e realmente não tem o que fazer. Eu sei. Senão, o que ele estaria fazendo aqui em casa? Não tem ninguém aqui, só eu. E estava tomando banho na hora em que ele chegou. Agora

Espalhando suas cinzas

(Imagem retirada do Google Rosa Fogo) Acordei decidida a lhe prestar uma última homenagem antes de encerrar seu ciclo de vida em minha vida. Retirei do armário a caixa com todos seus pertences que havia recolhido quando você se foi.

Espalhando suas cinzas

(Imagem retirada do Google Rosa Fogo) Acordei decidida a lhe prestar uma última homenagem antes de encerrar seu ciclo de vida em minha vida. Retirei do armário a caixa com todos seus pertences que havia recolhido quando você se foi.