Posts Marcados: café

#3 Da arte de jogar areia na própria fogueira

      O que sentia cabia em reportagem da revista Claudia: auto-sabotagem tinha se tornado minha especialidade. Mais uma vez deixava tudo e todos provarem o quanto podia ser tola & incapaz & derrotada. “Você hospedando um estranho na

#3 Da arte de jogar areia na própria fogueira

      O que sentia cabia em reportagem da revista Claudia: auto-sabotagem tinha se tornado minha especialidade. Mais uma vez deixava tudo e todos provarem o quanto podia ser tola & incapaz & derrotada. “Você hospedando um estranho na

Fotografia de Carlos Nyland

Em um caderno de capa de coador de café,

copiei mais de mil poemas: Recurso para toda situação. O primeiro faria um sorriso te encher a cara, Mas o ducentésimo terceiro te deixaria triste, muito triste, mais que triste. Havia versos que eram convites: Setenta e dois para sexo

Fotografia de Carlos Nyland

Em um caderno de capa de coador de café,

copiei mais de mil poemas: Recurso para toda situação. O primeiro faria um sorriso te encher a cara, Mas o ducentésimo terceiro te deixaria triste, muito triste, mais que triste. Havia versos que eram convites: Setenta e dois para sexo

Balões por Peter Griffin

– Me sinto de fora,

não bebo café, não sei fumar, não gosto de vinho, muito menos de cerveja, nem da artesanal, mesmo sendo chique hoje em dia. Mas a verdade mesmo, o que me incomoda, fora encher bexigas e frequentar festas de crianças por

Balões por Peter Griffin

– Me sinto de fora,

não bebo café, não sei fumar, não gosto de vinho, muito menos de cerveja, nem da artesanal, mesmo sendo chique hoje em dia. Mas a verdade mesmo, o que me incomoda, fora encher bexigas e frequentar festas de crianças por

Íris

Foto de Iozio Augusto Ele a pega com a mão em seu bolso. Agarra o pulso, faz um pequeno passo de dança no apertado metrô e a puxa. — Tranquila. Ela obedece. Não devia ter mais do que catorze. O

Íris

Foto de Iozio Augusto Ele a pega com a mão em seu bolso. Agarra o pulso, faz um pequeno passo de dança no apertado metrô e a puxa. — Tranquila. Ela obedece. Não devia ter mais do que catorze. O