Manhã de sol

Ventilador de teto 1 por Joseph Bishop

Pálido turno antecedeu
Momento taciturno
Adeus

Tempo violento
Idêntico ao teto desse hotel
Habitado no intervalo fútil entre “dê” e “eñd”

Puta recalcada desejo
Teu dente amarelado
Teu peito besuntado
Tua testa azeda
Teu pé azulado
Tuas carótidas torturadas
Teu baço parado

Destino do ontem amado
Mortalha lubrificante
Tudo demasiado assombrado
Nada perfeito
Tapete preto disfarçado de gramado paradisíaco

Adeus –
Maldito cumprimento
Odiado mandatário
Ditador voluntário
The end.

Anúncios

Sobre Sheila Boesel

SHEILA BOESEL nasceu em 1976, em Santa Cruz do Sul (RS). Formada em jornalismo, trabalha com escritos, sejam próprios ou encomendados. Mudou-se para São Paulo em 2008, mas ainda estranha quase tudo. Gosta de histórias desde a encarnação em que foi traça e, se lembrasse as aventuras que vive enquanto dorme, possivelmente iria tentar a sorte em Bollywood.

  1. Intrigante! Acho que alguém aí morreu.

  2. marcus

    Acho que entendi!!

  3. Andrew Boesel

    Angustiante.
    Falta pouco para se tornar mal assombrado esse hotel!

    Abração

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: