Antes da ressurreição

Meu corpo adoece, expele fetos
e multiplica as dores dos meus partos inexistentes,
sobre a cama ainda há o sangue sagrado de Abel,
e eu adormeço, embora nua e dispersa.

Acordo e os cães não me esperam mais na porta,
não lambem nem fazem estancar o sangue das minhas velhas feridas.
É madrugada em mim,
espero pacientemente o gozo das manhãs.
A vida é redundante.

 

Anúncios

Sobre marciabarbieri

Literatura e artes

  1. Fernando Rocha

    Acho que este foi o que gostei mais, até o presente momento. O último verso é matador!

  2. O que dizer de alguém que entende do ofício? Imagens delirantes, sensacional!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: