Flor da Pele

Fotografia de Alexandre Pereira

Fotografia de Alexandre Pereira

Na minha pele pipocaram versos.
Imagens sonoras, texturas, ritmos,
Até na ponta dos pêlos brotaram
Pequenos botões de breves palavras.

Procurei uma cura no papel,
Fiz da muda caneta minha pá
E arrisquei delicada operação
De transplantá-los vivos para a pauta.

Mas a plantinha, frágil, não pegou,
Perdeu o brilho e a cor, ficou murcha,
Mancha apagada na brancura fina.

Na minha pele ainda brotam versos.
Que pena. Não sobrevivem, feridos
Pela brutalidade do meu tato.

Anúncios

Sobre Rogério Guimarães

Rogério Guimarães nasceu em Santo Antônio da Platina (PR). Gosta de desenhar e tocar violão. Vegetariano não praticante, curte esportes radicais como yoga e tai chi chuan.Busca inspiração para escrever em Pasárgada, Shambhala e na paisagem cosmopaulistana. Participou da antologia de contos Abigail, publicada pela Editora Terracota, e do ebook Geração em 140 Caracteres, editada pela Geração Editorial. Seus próximos livros serão lançados em 2012, se o mundo não acabar.

  1. Queridão, escrever também é arriscar …muitas vezes vingam!! Belo texto, muito obrigado!!

  2. Rogério, em minha pele suas palavras rimadas causam arrepios de contentamento em ver o quanto sua sensibilidade está aguçada. Mais um belo poema seu.

  3. Alessandra

    Lindo, Guto… é muito bom ter um poeta na família

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: