Submissa

Sonja - Gustav Klimt

Sonja – Gustav Klimt

“Mulher que se presa casa de branco, virgem e por opção.” Sonja dizia. Adestrada para esposa perfeita, obedecia qualquer ordem masculina sem questionar. Jamais contrariou um homem na vida. Em casa, filha servil, satisfazia todos os caprichos paternos como prova da boa educação. Café na cama, colarinho impecável, almoço pontual e jantar sempre criativo. Nunca repetia receita. Na rua, evitava os homens com medo de não conseguir refutá-los. Para ela, homem nenhum merece um não. Prometida no parto, aguardou intocada o noivo encomendado. Tinha apenas um desejo: casar-se de branco, imaculada. Descrente de tanta virtude e pureza, ele exigiu champanhe; fez questão de dar-lhe o vestido. Ofendida, se matou no altar pra não dizer outro sim.

 

Anúncios

Sobre Fernando SanPrieto

Fernando SanPrieto nasceu em 1974, em Catanduva (SP). Estudante por vocação, é graduado em Artes Plásticas e Design, pós-graduado em Ensino de Artes, ator recém formado e PhD em não usar nada disso. Impaciente, lê mais de um livro de cada vez e sempre mistura as histórias.

Um Comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: