Íntimas amigas

Amigas. As melhores de toda uma vida. Desde a infância, aprendemos a dividir tudo, sapato, sorvete, mel e algum fel. Nada mais eu queria. Modelo perfeito de mulher, ela, alvo da minha absoluta admiração, ela, que eu tanto queria ser, a minha muito linda, muito loura e muito magra melhor amiga. Uma verdadeira boneca, ela, com quem eu tudo na vida dividia, sapato, sorvete, mel e algum fel.

Mas nesses ziguezagues do destino, eis que um dia, Barbie, a minha linda, magra e loura amiga, que já foi veterinária, engenheira e até sereia, estava na pior. Comovida com a situação, num gesto benevolente, daqueles que se esperam não apenas dos melhores amigos, mas das almas mais puras, a convidei para morar comigo.

– Aqui, minha amiga e irmã, você terá, graças à minha bondade, abrigo, comida boa e muita comodidade. Mais do que a de Telma e Louise será a nossa amizade. Nem vai precisar com as despesas se preocupar.

Barbie se ofereceu para ajudar, pelo menos, nos serviços de casa. Só aceitei para não deixar a minha mais linda, magra e loura amiga sem jeito. Juntas levávamos uma vida que era só de liberdade, igualdade e fraternidade. Um dia vi entre as coisas de Barbie algo que me chamou a atenção:

– Amada amiga e irmã, que coisa mais esquisita esta é: deste sapato rosa choque só guardas um pé?

Barbie, sempre linda, magra e loura, contou que perdeu o outro pé ao sair correndo de um baile, depois de dançar a noite inteira com um bonito, amável e distinto rapaz.

Passados alguns dias, doces e fraternos dias, houve outro reviramento do destino. Quem poderia imaginar a má sorte que se abatera sobre mim:

– Querida irmã, siamesa da minha alma, sempre dividimos tudo e quero que tenha muita calma. Veja que triste a minha sina, por causa de um mau jeito nas costas, não consigo mais lavar, passar, limpar a casa e a latrina.

Barbie, comovida com a minha condição, se ofereceu para fazer todo o serviço. Linda mesmo, não só por fora, mas também por dentro, essa minha magra e loura amiga!

Dias depois, por conta de um torcicolo que me abateu, Barbie mais uma vez se mostrou tão solícita! Passou a fazer a comida, lavar a louça e a costurar. E não é que quanto mais repousava, pior eu ficava!

– Minha amada, idolatrada, nem podes imaginar o quanto me dói ver você se acabando de tanto trabalhar. Mas ainda que  dessa rede não posso me levantar, quero ao menos cantar para o seu dia eu poder alegrar.

E enquanto aquela loura linda só esfregava, varria e lavava, eu cantarolava. Num dia, quando Barbie saiu para fazer mercado e ir à feira ver se encontrava a minha maçã belga, bateram na porta. Um charme de rapaz, muito gentil, explicou que gostaria que as moças da casa experimentassem aquele sapatinho todo rosa. Já algum tempo, pobre moço, procurava desesperadamente a dona do tal sapato por quem havia se apaixonado. Coloquei o próprio no pé e não é que coube direitinho!

– Oh, caros amigos, o moço nem me deixou explicar, um beijo roubado me fez calar. Pôs um anel na minha mão e, dali, fomos direto para o altar. Foi tanta a agitação que, até hoje, nem da Barbie consegui lhe contar.

E por falar em Barbie, nem mais tão linda, nem mais tão magra, nem mais tão loura, perdemos totalmente o contato. Sei apenas que conseguiu atravessar a fronteira do México para os Estados Unidos, onde, graças a mim, a tudo que aprendeu morando comigo, se lançará numa nova carreira: a de Barbie Faxineira. E veja só que coisa, assim que cheguei a este castelo não sinto mais dor alguma. Eu e meu príncipe vivemos uma vida tão contente. Acredite: existe sim um felizes para sempre. Barbie partiu sem ao menos dizer, por tudo que fiz por ela, um muito obrigado. Mas não sou de guardar mágoa. A própria vida pagou aquela ingrata. No final dessa linda e comovente história, ela terminou borralheira e eu, gata.

Anúncios

Sobre sandrareginasantos

Nasceu em Londrina

  1. Que amiga da… Barbie!
    Sou muito fã desse teu estilo, Sandroca, texto irresistível!
    Aliás, depois desse, vamos retomar o projeto “Descontos de Fadas”? Tá perfeito pra coletânea…

    😀

    Beijocas,
    Denise

  2. Muito bom!!!
    Nem senti falta do Ken….
    parabéns!!!

  3. Sandra amiga! Amiga heim? Mas bastou pintar um gato no pedaço e…pobre Barbie kkkkkkkkk! Amei sua história, sua narrativa que prendeu do início ao fim.

  4. Muito divertida a forma como você reescreveu esta história! Parabéns.

  5. José Carlos Malafaia

    Ingrata e aproveitadas. Ainda se valeu da sua dor e terceirizou a faxina. Valeu. Bjs.

  6. José Carlos Malafaia

    Quis dizer ingrata e aproveitadora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: