Um próspero comerciante

(Ilustração Edilene V. Pedroso)

A festa em família corria solta com as pessoas comendo, bebendo e rindo muito. Era sempre assim toda vez que a família Prudente se reunia. Isso já se repetia por gerações. Numa roda de mulheres, o assunto era sobre as atuais histórias escritas para criança.

Sueli, professora no ensino fundamental I reclamava que não se faziam mais histórias como antigamente. Que hoje em dia colocavam inclusive insinuações sobre sexualidade que não combinava com a idade daqueles infantes. Um absurdo!

Maria, mãe de quatro crianças concordou, pois já havia lido vários livros com histórias que, na opinião dela, não tinha a ver com essa faixa etária.

Gabi, menina esperta e muito observadora para sua idade, estava atenta a conversa dessas mulheres e após pensar um pouco se aproximou do grupo e disse:

– Tia Sueli, inventei uma historinha bem legal enquanto ouvia vocês falarem das histórias contadas nas escolas. Querem ouvir?

Todas riram da expressividade da menina prodígio e concordaram em ouvir a tal história.

–  Era uma vez no reino das histórias de faz de conta, três porquinhos construíam suas casinhas bem felizes. O porquinho 1 construía sua casa de sapé, o porquinho 2 construía a sua de madeira e o porquinho 3 construía a sua em alvenaria…

–  Ah! Gabi, mas essa história já é bem conhecida. Você não está inventando nada. Rebateu tia Maria.

–   Tia quer ter a paciência de esperar eu contar toda a história para depois criticar? Essa história é bemmmmmm diferente dessa que você já conhece. Então, voltando a minha história: Os três porquinhos já estavam terminando suas casinhas quando, de repente, o Lobo Mau apareceu e num segundo: Vuhhrum!!!!! Assoprou as casinhas, matou os porquinhos, embalou-os em sacos plásticos e levou embora. Após alguns dias, abriu uma lanchonete e distribuiu panfletos por todo o mundo do faz de conta convidando a todos para conhecer o novo point do pedaço.

–  Como dificilmente acontecia novidades por ali, em pouco tempo a lanchonete do seu Lobo Mau lotou. Vendo que o sucesso batia à sua porta, Lobo Mau contratou três garçonetes: Doroty, Bela e a megera Catarina que sempre quis ser independente. Chegando com toda a família real, o Rei Sapo perguntou para o Lobo Mau:

–   Ei Lobo! Qual o cardápio da casa para hoje? Estamos com muita fome!

–   Seja bem vindo alteza! É com enorme prazer que o recebo e digo que o prato da casa é uma bela de uma feijoada. Feita com carne nobre de porquinhos saudáveis. Veja bem: aqui só trabalhamos com qualidade que é para o freguês sair satisfeito.

Indignada com a idéia daquela menina tão pequena, Sueli ralhou:

–    Gabi! Pelo amor de Deus! Onde foi buscar uma história tão…tão…menina, você anda vendo muito programa impróprio para sua idade! Vou ter uma conversinha com sua mãe. Onde já se viu uma coisa dessas?

–    Tia, qual o problema com minha história? O Lobo Mau não é mais o vilão. Ele fez curso no Sebrae de empreendedorismo e decidiu mudar de vida virando um próspero comerciante. Está trabalhando direitinho, pagando seus impostos, gerando empregos afinal, no mundo do faz de conta a inflação e a crise econômica também chegou. Não tá nada fácil!

Não se agüentando e começando a rir, Maria tentou explicar à menina:

–    Gabi veja bem, adorei sua história, mas é que ela não é politicamente correta entende?

–     E o que é politicamente correto tia?

–    Vê se me entende coração: politicamente correto significa ações que são reconhecidas como corretas no sentido moral.O fato de o Lobo Mau matar os três porquinhos e ainda fazer uma feijoada e servir como prato principal na lanchonete não soa bem. Afinal de contas, houve um assassinato ai. E um assassinato não pode ser visto como se fosse uma coisa banal, sem peso. Entende?

–    Entender, entender eu até entendo tia. Mas se é assim, por que é que todo mundo faz feijoada, churrasco e recebe a família e os amigos nos fins de semana? E todo mundo gosta! Qual a diferença? Só porque é o Lobo Mau e não gente como nós?

O grupo ficou em silêncio por alguns segundos sem argumentos para tal reflexão da menina. Por fim, tia Sueli sorrindo sem graça disse:

–   Vá brincar com suas primas que as tias vão conversar assunto de adulto. Vá!

Girando nos calcanhares, Gabi saiu correndo, mas antes pensou em voz alta:

–   Adultos!!! Vá entender os adultos!

Anúncios

Sobre Roseli Pedroso

Roseli Pedroso nasceu em 1963, em Osasco (SP). Bacharelada em Biblioteconomia pela FESPSP, é bibliotecária escolar. Viver entre livros e palavras é sua grande paixão. Em 2011, participou pela primeira vez em uma antologia de contos Abigail, publicada pela editora Terracota. Também participa das coletâneas Corda Bamba e Ocultos Buracos, ambas da Pastelaria Studio, de Portugal. Colabora no site: http://melecachiclete.blogspot.com.br/ Seus blogs: http://bibliotequiceseafins.blogspot.com http://sonhosmelodias.blogspot.com

  1. “Vá entender os adultos?” Não entendo também …
    Belo e divertido texto.

    Muito obrigado!!!

  2. naneteneves

    É, crianças não são nada hipócritas…rs. Porreta essa Gabi.

    • Oi Nanete! Que bom ver você por aqui nos prestigiando! Tem razão quanto as crianças. E olha, trabalhando há mais de dezoito anos ao lado delas, estou sempre aprendendo e me surpreendendo. Obrigada pela visita e comentário.

  3. Ricardo Dias

    Paródia muito legal. Criança sincera ensinando adultos hipócritas. Adorei.

    • Ganhei o dia! E graças a Gabi! Ri querido receber um comentário seu é muito importante pra mim e você sabe disso. Obrigada pela visita e comentário. Tenho aprendido muito com você. E quero aprender muito mais. Te espero mais vezes por aqui

  4. Muito esperta, essa menina. Nada como um olhar infantil para contestar a “lógica” dos adultos. Parabéns Roseli.

  5. Edilene Pedroso

    Manter nossa criança viva é manter nosso olhar renovado diante das situações ,neste texto divertido,e questionador, a autora Roseli nos presenteia com um belo conto infantil

  6. Essa menina tem uma imaginação! Essa menina Roseli.

  7. Grande Gabi! E grande Roseli também!
    Só mesmo vocês duas pra trazerem a nossa mente uma reflexão que dificilmente teríamos. Já tenho até alguém que iria gostar muito desse seu conto!

  8. Muito verossímil essa história.

    • Olá! Apesar de não ter te identificado, agradeço sua visita e comentário. Te espero nas próximas postagens.

      • Essa é minha “maninha” mais nova, Roseli… Letícia, nossa alegria!
        Garota muito inteligente, com um gosto literário muito aguçado tbm! Ela quem eu disse que gostaria do seu conto!
        Bjs

  9. Mª Ángeles

    Gostei. Engraçado. Uma menina muito experta. Promete.

  10. Ro, querida amiga!

    E nao é que passamos um longo tempo da nossa vida vendo essa estórinha de um prisma totalmente contorcido?
    Qual a diferenca entre o homem e o lobo ou seja ele que nome tenha?

    Gabi, menina intelligente e prespicaz nos deu uma licao de vida.

    No que mais estamos sendo hipócritas? Espero que a personagem Gabi, tenha outras estorinhas para nos relatar.

    Linda a ilustracao. Parabéns para a Edilene. Quem sabe numa outra estorinha a Viviane faca a ilustracao, hehehehhehe.

    Um grande beijo e parabéns pelo texto sapientíssimo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: