Por amor

É sempre a mesma velha história: homem é mais frio e racional, não ama tão apaixonadamente quanto a mulher. Mas que grande mentira. Por amor, os homens gritam, berram, choram, brigam, sofrem de dar dó. E como são fiéis os pobres coitados. Porque isso de infidelidade masculina é outra lenda urbana, rural, marítima e espacial. Se duvida do que falo, basta ir a um estádio de futebol para ver só o tamanho da devoção masculina. Cinco minutinhos perto da torcida organizada para gritos cheios de testosterona empurrarem ralo abaixo as teorias da infidelidade e frieza masculinas.

E quanto torcedor não morre literalmente pelo time? Li sobre um rapaz que, ao comemorar um gol, pulou tanto no sofá da sala que perdeu o equilíbrio e caiu do 3º andar do prédio onde morava. Morreu na hora, o pobre coitado, e ainda sem saber se tanto empenho valia a pena, porque o jogo ainda não havia terminado. Ironicamente ninguém soube informar para qual time o rapaz torcia.

Quando a mim, confesso, só sei quando é gol porque todo mundo levanta e grita. E, justamente, porque todo mundo levanta e faz a maior algazarra, nunca vejo o gol. Para ver futebol é preciso muita concentração. É como dirigir, não dá pra ficar olhando para os lados. E eu adoro olhar para os lados. Mas em compensação, não perco um lance da torcida. Como um nome e algumas poucas combinações de cores podem fazem tanto sentido para uma pessoa? E não é que a torcida é organizada mesmo!? Não para nem um minuto de pular, cantar e gritar. De tão cadenciados e sincronizados, parece até coreografia da Broadway. Tenho planos de ver River Plate e Boca Junior no La Bombonera. Não é pela partida, mas sim pela torcida.

Uma vez no norte da Argentina, enquanto esperava um ônibus para seguir viagem, fiz amizade com um menino de uns quatro anos. A nossa conversa foi mais ou menos assim:

– Onde você mora?
– No Brasil.
– Mas por que mora no Brasil?
– Porque sou brasileira.
– E por que você é brasileira?

Diante de uma indagação tão existencialista, achei que se fizesse a ele pergunta semelhante, com certeza, ele entenderia que algumas coisas nesta vida não têm explicação. Então, devolvi:

– E por que você é argentino?

O menino me olhou sério, com aquele arzinho de indignado, e foi categórico:
– Não, eu não sou argentino.
– Não é argentino? É o que então?
– Eu sou Boca.

O amor pelo time suplantando o amor pela pátria.

Anúncios

Sobre sandrareginasantos

Nasceu em Londrina

  1. Sou claraboia!!!
    Gostei….

  2. Opaaaaaaaaa!
    E assim seja a grande paixão nacional!
    Bela estréia Sandra!!

  3. Sandra, seu time é mesmo a literatura!!!
    Parabéns.

  4. Aline Viana

    Rsrsrs Ótimo isso: antes de se entender como argentino, ele era Boca!

  5. Ai Sandra! Realmente esse é um amor que talvez eu nunca vá entender. Mesmo que admire essa adoração toda. Maravilha de estreia.

  6. Gostei muito. Tb sou uma apaixonada pelo meu time, mas tb tenho dificuldades para me concentrar. Mas o show que uma torcida dá no estádio é realmente fantástico!

    • Pois é, Ju, adoro ver os torcedores, ouvir a história dos torcedores. O texto, na verdade, tinha mais histórias, mas achei melhor reduzir. Muito obrigada. Confesso que fiquei muito feliz com o seu comentário. Volte sempre. Um abraço.

  7. Gostei muito de visitar seu blogue. Vou voltar mais vezes. Parabéns!

  8. Marcus Zittei

    Sandra!!!!!!! tenho muitas palavras pra escrever aqui, mas creio que não posso externar meus sentimentos, pois em todos os posts você reclama que elogiam!!!!! então ei de reclamar do teu texto!!!!! rsrsrsrsrs

    Este garotinho não torce pelo Boca, o que ele tem é algo muito além!!!! Torcemos por quem gostamos, mas por quem amamos é outra coisa!!!!!

    • Marcos… eu tinha certeza que eu havia respondido. Aliás, Marcão, eu respondi, mas acho forças ocultas, independente da minha vontade, mas dependentes da minha total falta de habilidade com o wordpress… vai saber onde foi parar essa resposta.

      Mas Marcão, literalmente falando, o menino não disse que torce pelo Boca e sim que não é Argentino, é Boca. KKKKKKKKKKKKKKKK. E qual o seu time?

      Marcos, um beijo e obrigada pelo carinho

  9. Sandra curti muito, legal mesmo, uma bonita janela para o cotidiano! 😉

  10. Torço pra gente tomar uma(s) caipirinha(s) em breve!!!!
    Beijocas mujer!!

    Dê Ranieri

  11. Sheila Boesel

    Gostei Sandra!!! Me diverti!!!

  12. CRISTIAN

    Sandra , gostei muito , parabéns
    certamente deve continuar no caminho do #escribidores#
    Cris

  13. Cris, muito obrigada, principalmente, pelo grande incentivo.
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: